Dá para cuidar do próprio corpo sem reproduzir gordofobia

Se você está lendo esse post do seu sofá, provavelmente você deve estar na mesma situação que eu. Sem poder sair de casa, tentando trabalhar, se cuidar e não surtar. Tentando relaxar, mas recebendo informação 24 horas por dia. Não sei vocês, mas meus grupos de conversa estão mais ativos do que nunca. Seja conversando, seja fazendo piada, seja mandando memes.

Leia a matéria completa.

Contra a gordofobia, movimento “corpo livre” ganha força na internet

Época de carnaval é quando todo mundo resolve perder os quilos ganhos nas festas de final de ano e correr contra o tempo para desfilar nos bloquinhos em forma, com um corpo perfeito. Vale tudo para conseguir a tão sonhada barriga chapada: academia, marcar hora com aquela nutricionista famosa do Instagram, fazer dietas milagrosas e recorrer até mesmo a medicamentos irregulares.

Leia a matéria completa.

Saiba o que é compulsão alimentar e como controlar esse transtorno

Depois dos diversos relatos de Cleo sobre como a atriz tem lidado com a compulsão alimentar, as pessoas passaram a olhar mais para o problema. Em depoimento sincero no programa ‘Conversa com Bial’, ela contou mais sobre o distúrbio: “De repente você passa por alguma coisa emocional que você fica desequilibrada, e aí você come o pé da mesa. Não tem fim. Come até passar mal mesmo”. E muita gente parou para se perguntar se está sofrendo disso. Então, conversamos com mulheres que vivem a situação e com especialistas que explicam o transtorno. 

Leia a matéria completa.

Um bate papo sobre gordofobia, pressão estética, saúde física e mental

Quando fui chamada para participar do #FimDeSemanaDoPapo, eu não imaginava o que me esperava. Especificamente, fui convidada a falar sobre Gordofobia, Pressão Estética e o Impacto na Saúde Física e Mental. Junto comigo, mais algumas mulheres muito queridas: as blogueiras Ana Luiza Palhares e Ju Romano, a nutricionista Isabela Mota e a atriz Mariana Xavier.

Leia a matéria completa.

Por que precisamos falar sobre gordofobia?

Para falar sobre autoestima, amor próprio e aceitação do próprio corpo é fundamental entender de que forma algumas questões afetam o coletivo, como a pressão estética e a gordofobia. É importante entender os conceitos para enfrentá-los. Enquanto a pressão estética afeta absolutamente todas as pessoas com a ideia de que há um corpo perfeito a ser atingido, a gordofobia tem a ver com o percentual gordo da população.

Leia a matéria completa.

O que é pressão estética e de que forma ela afeta as mulheres?

Nós vivemos em um contexto onde a pressão estética afeta diariamente a vida de todas as mulheres e homens e diferentes formas. Essa pressão surge da ideia de que existe um estereótipo de ser humano mais bonito para ser alcançado. De acordo com Vanessa Tomasini, psicóloga clínica e criadora do projeto “Você tem fome de quê?”, é um padrão calcado na imagem de uma pessoa magra, alta, branca, loira e, de preferência, com o corpo malhado.

Leia a matéria completa

O perigo invisível de existir apenas um único padrão de “musa” do Carnaval

Por mais que você deteste a música, este é o verão da Jenifer. Não dá para negar, ela virou a musa deste Carnaval, e Mariana Xavier foi a responsável por dar vida à personagem. Ainda bem, porque já estava mais do que na hora de termos uma mulher com um corpo fora do padrão tendo esse lugar de destaque, né?

Leia a matéria completa.

Quer mudar sua relação com seu corpo?

Ótimo, saiba que é possível, libertador e transformador, mas não tem uma receita mágica ou uma única fórmula correta. É um processo profundo e individual, por isso precisamos conversar sobre ele.

Muito é falado hoje em dia sobre aceitação corporal. Os movimentos de #bodypositive e #bodykindness tem aumentado cada vez mais ao redor do mundo. É bonito ver cada vez mais mulheres entendendo a força e a potência que nossas ações podem causar no mundo. É lindo ver mulheres se tornando cada vez mais donas de seus desejos e arcando com a consequência de ser protagonista na sua própria historia e escolhas. Eu como profissional de saúde, formada a quase 2 décadas, presencio este movimento ao longo destes anos e a olhos nus no meu consultório particular, nas redes sociais e em reuniões com outros profissionais da área de saúde.

Leia a matéria completa.