Se não restringir, então como?

Sempre que falamos que não é ideal fazer restrições de alimentos (sobre o que consideramos restrições, veja este artigo), muita gente responde: mas se eu não restringir vou comer tudo que vir pela frente! A eles eu pergunto: por quê?

A ideia de que conseguiríamos viver a nossa vida comendo doces todos os dias sem enjoar é uma fantasia de criança, que até na infância não dura muito. Dê para um pequeno o seu doce favorito, depois de uma certa quantidade ele enjoa.

É até comum depois de natal e ano novo nós termos vontade de comer uma salada, um prato de legumes porque não aguentamos ver na frente tanto doce. Esse é o famoso equilíbrio. Ele não é comer perfeitamente balanceado toda semana, mas depois de exagero, naturalmente querer um pouco de reduções.

Há quem tenha um paladar complicado, e não veja graça em muitos alimentos naturais. Muito provavelmente são pessoas que tem o paladar viciado em comida ultraindustrializada, e neste caso precisaria de uma reeducação do gosto para despertar as outras nuances de sabor (muito similar ao educar o paladar de uma criança).

Se você no entanto não consegue naturalmente se saciar da vontade de certas comidas ao comê-las é preciso então perguntar: no que esta comida está no lugar? Você, na realidade, está com fome de quê?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *